VIVER DE ARTE? DESISTE!

By 25 de Setembro de 2018Sem categoria

esse título é a primeira porrada que levamos quando descobrimos que temos aptidão para alguma coisa. o nosso primeiro não e isso pode determinar toda a nossa vida. pq parece um erro, ofensivo e acaba que somos tratados como débeis ou com síndrome de peter pan e passamos nossa existência tentando nos encaixar numa forma pré estabelecida e com várias seções no terapeuta amigo para nos encontrarmos.  é pra isso que eu vim? é pra isso que vc veio?

como muitos sabem, aqui em casa somos dois doidos varridos. um ilustrador de quadrinhos e uma bailarina vivendo com 100% do resultado de nossa produção. sem salários fixos, paitrocíneo, heranças… nada! e ainda por cima criando uma criança. saímos para caçar todos os dias se não, não temos o que comer. drama? não. escolha!!! e é lembrar desta escolha, de ser de fato o que nós somos e fazer o que viemos fazer neste mundo que nos impulsiona. não é uma jornada fácil. abdicamos de muitas coisas, mas sabemos o nosso lugar e o resultado é o não arrependimento de nada do que fazemos, e o que deixamos de fazer definitivamente não faz falta e seguimos pq se é pra se quebrar pra conquistar nosso espaço, que ele seja mesmo nosso!

a arte em si já é super desvalorizada. desde cedo aprendemos que balé é coisa de menininha e quando crescer precisa fazer coisas mais “sérias”,  nos quadrinhos é do mesmo jeito e como ferramenta cultural inclusiva é desacreditada ficando apenas como um meio de vender produtos.

pelejamos e às vezes a vontade de desistir é enorme e aí fazemos uma lista de tudo que já “fizemos e acontecemos”, Deus dá um sacode e continuamos. o mundo precisa disso, nós precisamos disso!!

enfim, vivemos de arte pra viver e tudo isso gera um mix de sentimentos que é difícil de expressar. toda essa mistura de alegria do encontro com a angústia da opressão pelo modus operandi do lugar em que vivemos mostramos do jeito que nós somos: com a arte que temos!

cada um tem sua vida, seus caminhos, sua realidade, mas só vc pode transformá-la. então faça o seu melhor sendo a sua melhor versão!

[na ilustra: fary adams by me]

Leave a Reply